A palavra-síntese de toda a experiência carismática de São Jerônimo é "paternidade". Órfão com 10 anos, após uma mocidade agitada, foi envolvido numa forte experiência de conversão. Atormentado pela memória de seus pecados, em Cristo Crucificado reconheceu o amor misericordioso do Pai. Seu amor para com os órfãos, com os quais ele quis viver e morrer, tornou-se clara revelação dessa paternidade divina.


O verdadeiro centro propulsor da experiência espiritual de são Jerônimo, originada na Reforma católica, manifestou-se no grande desejo de levar a Igreja ao estado de santidade das primeiras comunidades cristãs. Este mesmo ideal lhe sugeriu o jeito de organizar a vida das casas que acolhiam os órfãos.


O anseio pela reforma da Igreja foi tão grande que ele e os seus pediam-na todos os dias por uma oração que ele mesmo tinha composto.

Prestes a morrer, Jerônimo transmitiu a seus discípulos um testamento que sintetizava sua experiência espiritual e representa, ao mesmo tempo, um itinerário de vida cristã: Segui o caminho do Crucificado – desprezai a iniqüidade – amai-vos uns aos outros – servi aos pobres.

O empenho de caridade para com os pobres nasce de uma comunidade de pessoas que vivem o mandamento do amor recíproco, tendo escolhido Deus como único fim e fundamentados no amor para com Jesus que, na cruz, revela o máximo grau de sua doação.