«Se o grão de trigo [...] não morre ...» (Jo 12, 24).


 

Esta palavra do Evangelho pode ser aplicada ao pé da letra a Catarina Cittadini, fundadora das Irmãs Ursulinas de são Jerônimo de Somasca, falecida o dia 5 de maio de 1857, antes de o Instituto receber a aprovação canônica.

Com efeito, o dia 14 de dezembro do mesmo ano, o Bispo de Bérgamo, Dom Speranza, aprovava o Instituto e o dia seguinte as sete primeiras companheiras da Fundadora emitiam os votos religiosos.

Deste modo originou-se no tempo, e para o serviço da Igreja, a Congregação das Irmãs Ursulinas de são Jerônimo de Somasca, fundadas pelas irmãs  Cittadini, Catarina e Giuditta.

Como pequena semente germinada à sombra do Santo dos órfãos, Catarina passou a maior parte de sua vida em Somasca, a terra boa que, fecundada pela morte desta santa mulher consagrada a Deus e às almas, deu frutos de graça que se propagam no tempo.

Bem-aventurada Catalina Cittadini

 

Fundadora

das Ursulinas

de S. Jerónimo

de Somasca

A obra de Catarina, grande devota de são Jerônimo, frutificou de modo especial em favor dos jovens e dos doentes: são numerosas as obras na Itália do Norte, sobretudo na Província de Bérgamo, como também em Roma, Sardenha e Itália do Sul. A atividade missionária da Congregação hoje se estende à América Latina (Bolívia, Brasil), India, Filipinas. Precisa também salientar a atividade pastoral a serviço dos filhos dos emigrantes italianos na Suiça. França e Bélgica.

A festa litúrgica de Catarina Cittadini, proclamada bem-aventurada por João Paulo II, se dá no dia 5 de maio.