Um santo surpreendente

Jerônimo Emiliani, de nobre família, nasceu em Veneza (Itália) em 1486. Depois de uma juventude cheia de aventuras, em 1531 deliberou abandonar tudo. Permanecendo leigo, consagrou-se a uma missão muito especial: compartilhar a vida com os pobres e viver em comunidade com os órfãos.

A experiência espiritual do nosso Santo brotou e desenvolveu-se na irmandade do “Divino Amor”, importante movimento da Reforma Católica, em unidade com pessoas de grande relevo, como Caetano Thiene, fundador dos Teatinos e João Pedro Carafa, o futuro Paulo IV


Na irmandade do Divino Amor Jerônimo destaca-se pela habilidade na organização das obras de caridade de Veneza (o hospital dos Incuráveis e são Roque, a casa de aprendizagem para órfãos). Esta qualidade de Jerônimo fez com que os bispos das Regiões de Lombardia e Vêneto (norte da Itália) o convidassem para organizar as obras de caridade das suas dioceses.

Dos muitos colaboradores que se aproximaram dele, alguns tomaram a decisão de seguir o seu estilo de vida. Originou-se então a Companhia dos servos dos pobres, os atuais Religiosos Somascos.

   

Jerônimo faleceu em Somasca -Lecco, norte da Itália- no dia 8 de fevereiro de 1537, vitimado pela peste que ele contraiu servindo aos doentes durante uma terrível epidemia que se alastrou no vale de são Martinho. Foi o último ato de amor: dar a própria vida, seguindo o ensinamento de Jesus.