Em 1680 o padre somasco Gianandrea Tiboldi  fundava em Gênova  (Itália),

onde era vigário da paróquia somasca “S. Maria Maddalena”, a

Congregação das Irmãs Somascas

Filhas de são Jerônimo  Emiliani.


Durante mais de 200 anos elas desenvolveram a própria atividade quase exclusivamente no território da paróquia tornando-se uma verdadeira bênção de Deus. Sua vida e o apostolado foram humildes nas origens e escondidos no tempo; porém aquela semente semeada pela mão de um apóstolo que tinha coração de pai, como são Jerônimo Emiliani, achou no escondimento e na humildade a terra boa para transformar-se, naquela aquela morte que é vida, para uma vida fecunda e rica em frutos. A semente era exuberante de vida; por isso pôde desenvolver-se: à primeira casa de Génova, abrigo para meninas órfãs, creche e escola primária, centro de atividades paroquiais, no tempo deviam acrescentar-se outras para o serviço da Igreja e do mundo.

 

Assim, em 1930, alguns padres somascos (precisa lembrar os padres Bortolo Stefani, João Ferro, posteriormente Bispo de Reggio Calabria) deram um novo e forte impulso à Congregação das Irmãs Somascas ampliando os horizontes da atividade apostólica. Manifestou-se a bênção de Deus pelas numerosas vocações devido também à colaboração fraterna de muitos religiosos somascos, especialmente do pe. Cesare Tagliaferro, na época, mestre dos noviços em Somasca e distinto diretor espiritual.


Primeira Superiora Geral da Congregação

 

Madre M. Agnese Manzoni

O grande espírito de sacrifício acompanhou o trabalho das Oblatas naqueles anos em que a Obra se desenvolveu maravilhosamente. A partir de 1931 as Irmãs Somascas estão em Casale Monferrato, no colégio “Treviso”; em 1935 encontram-se a Corbetta, ajudando os padres somascos no Seminário Maior; em 1940 ajudam os padres no orfanato “Emiliani” de Rapallo.

Desde o ano 1945 a evolução da Congregação torna-se sempre mais evidente. As etapas principais: em 1948, pela colaboração e os conselhos do pe. João Salvini abrem em Rapallo a primeira casa independente, o “Nido são Jerônimo”; depois o instituto “Clotilde Olivari” em Ruta de Camogli, a creche “São Jerônimo” em Morosolo de Casciago, o orfanato “Cesarina Gallaman” em Cherasco, os asilos em S. Margarita Lígure, Gênova, Monte Marenzo; todas obras que, além de testemunhar a expansão da Congregação, representam um eminente serviço em prol dos pobres.

Atualmente a Congregação das Irmãs Somascas serve à Igreja exclusivamente na Itália. Porém, convidada pelos Bispos do Congo (África), está se preparando para abrir novos horizontes à inculturação do carsima.